Nunca partiste um vaso

Silêncio. É o que ouves à noite. Quando te deitas, e aprecias esse mundo que criaste, é silêncio que ouves. O tilintar dos copos do jantar de família é o único som que te irrompe os pensamentos, mas aparece ermo, singular. Como tu! Começaste por querer ser um exemplar académico. Aderiste à falsa religião, comContinue a ler “Nunca partiste um vaso”